ã õ

S'abonner au bulletin

 

Fantasia Concertante
Ricardo Lopes Garcia
interpreta música de cãmara

Ricardo Lopes Garcia

 

Fantasia Concertante, Ricardo Lopes Garcia interpreta música de cãmara (Feliu Gasull, Giulio Regondi, Ricardo Lopes Garcia). EGTA 1996.

Ricardo Lopes Garcia (violão)

Feliu gassul (violão)

Vicent Vergnais (Marimba e vibrafone)

Serge Drommer (clarineta baixo)

Marie Leenhardt (harpa)

Nancy Benda (violino)

Christian Benda (violoncelo)

 

Jovem compositor catalão, Feliu Gasull estudou no "Conservatoire Supérieur de Musique", em Genebra, Suiça, e na "Indiana University", em Bloomington, USA, onde, mais tarde, veio a lecionar no "Latin American Music Center".

Talentoso e proli'fico compositor, Feliu Gasull tem empregado em suas obras diferentes formações camertsticas. Seus "Six Lieds" para barítono e violãão foram editados pela "Berben" e sua obra coral "Punta de Dia" venceu a "Carmichael Compétition". O primeiro de seus concertos para violão e orquestra teve sua estréia no "Columbia International Music Festival", e o terceiro deles foi encomendado pela "Rockefeller Foundation". Seu trabalho é influenciado principalmente pela tradicional música catalã e pelo flamenco andaluz, contendo, entretanto, elementos da música modal e sérial.

0 estilo de escrita de Feliu Gasull pode ser descrito pelo uso de curtas células temáticas que são em seguida tratadas médiante utilização das características inerentes a cada instrumento. Na présente versão de "Hola Amadeu", por exemplo, a sonoridade do jazz é claramente identificável pela presença do violão e da clarineta, ao passo que a versão para trio de cordas da mesma peça explora o aspecto "concertante" da formação. "El Pexe de Bloomington", o duo para violão e harpa, é influenciado pela rápida e sincopada dança flamenca chamada "buleria". Os dois solistas executam um contrapunto à maneira d eum "moto prepétuo" até suas respectivas cadências. A primeira audição desta peça aconteceu na "Radio Suisse Romande" em 1985, por R. Lopes-Garcia e M. Leenhart. Nas "Variations Sobre Un Tema D'Estiu", o violão solo desenvolve uma idéia inicial como uma improvisação, onde passagens calmas e vituosísticas alternam-se em meio a um típico espirito mediterrãneo. Finalmente. "Blau Mar", para dois violões, iniciase lentamente com um tema baseado em très notas que desenvolve-se através de um diálogo que sugere ondas. O segundo tema aparece levando a peça a seu climax em um rápido e rìtmico movimento. O diálogo inicial retorna levando ao profun-damente lirico "trémolo" final.

Giulio Regondi nasceu em Genebra em 1822 e faleceu em Londres em 1872. Pouco se sabe a respeito de sua vida e obra. Até recentemente suas composições não haviam sido publicadas. Dez estudos ("Orphée éditions") e uma pequena série de obras, entre as quais "Introduction et Caprice op.23", editadas por "Chanterelle Verlag" em 1981, constituem a totalidade de suas composições conhecidas. Seu estilo foi inspirado pela ópéra italiana do último período romântico, cheio de passagens virtuosísticas, incomum densidade harmônica e líricas, generosas melodias.

A "Fantasia Concertante" de Ricardo Lopes-Garcia é um tributo a Heitor Villa-Lobos. Na obra, o compositor refere-se a algumas das grandes criaçõès de Villa-Lobos, como as BGachianas Brasileiras n° 7 e n° 8, o "Sextuor Mystique", os quartetos de cordas, etc. Acima de tudo, é na linguagem íntima, que constitui a parte mais característica do estilo de Heitor Villa-Lobos, que Ricardo Lopes-Garcia révéla suas próprias intenções musicais. Mais que um simples estudo de estilo, a "Fantasia Concertante" expressa os profundos conflitos que a harmonia acentuadamente dissonante e a melodia tonal tentam. sem sucesso, resolver. Musicalmente, estes conflitos desenvolvem-se progressivamente até o fim do segundo movimento, e impõemse no "ostinato" do último movimento no irregular 5/8. Cada movimento é baseado em uma idéia distinta, entretanto a presença do tema principal, comum aos três movimentos, assegura a unidade da obra.

Marek Wegrzyk

 


Ricardo Lopes Garcia, Fantasia Concertante (extrait)

Leia mais ... Toda a três movimentos
En savoir plus, l'intégralité des 3 mouvements

 

 

Ricardo Lopes Garcia

Nascido em 1959. Fez seus estud violão no Brasil, Suíça e França os professores Geraldo Ribeiro de Freitas Turíbio Santos, Manoel São Marcos. P Lívia São Marcos e Betho Davezac. Em concluiu o Curso Superior de Música 1984 obteve o primeiro prêmio virtuosidade do Conservatório de Músca Genebra (Suíça). No mesmo ano ganhou o segundo prêmio do Concurso Internacional de Violão "Andrés Segovia", em Malhorca (Espanha).

Ricardo Lopes-Garcia participou de diversos eventos em rádio e televisão no Brasil ena Europa; realizou recitais em diversos países e participou de vãrios festivais de música, entre os quais o de Freiburg (Alemanha). Paralelamente ao repertõrio tradition do violão, Ricardo Lopes-Garcia aprofundou seus interesses pela música antiga, pelo "flamenco" e pela composição.

"Este disco eu dedico à Emilie Lucia e Paola Salomé".

 

Feliu Gassul

1. Blau Mar, para 2 violões

2. Hola Amadeu, para violão, percussão e clarineta)

3. Variations sobre un Tema D'Estiu, violão solo

4. El Pexe de Bloomington, para violao e harpa

Giulio Regondi

5 - Introduction et Caprice, violão solo

Ricardo Lopes Garcia

6. Fantasia Concertante, para violão, violino e violoncelo (Enérgico, Adágio e Largo, Ostinato)

ã propos      S'abonner au bulletin   Liste musicologie.org   Collaborations éditoriales    


musicologie.org 2012

 

recherche

 

 rectangle_actu

 

rectangle

 

rectangle